Mitos sobre a Portaria Remota

Portaria Virtual
10/08/2021

Descubra a verdade sobre a Portaria Remota

A portaria remota se tornou um serviço de controle de acesso predial muito procurado por empresas e condomínios nos últimos anos porque oferece um bom custo-benefício. Mas, ainda existem pessoas que, por relatos de má experiência, ou por não conhecerem o sistema, têm uma visão equivocada sobre ele. Então, nas próximas linhas, vamos te contar a verdade sobre a Portaria Remota listando cinco mitos sobre ela!

1- Não é segura

O condomínio que adota a portaria remota, do jeito correto, precisa implantar uma série de melhorias em equipamentos de segurança perimetral (como câmeras e sensores) e dispositivos de controle de acesso (como biometria, tag, senhas ou reconhecimento facial), para iniciar a operação.

Estamos falando de todo um sistema de monitoramento que inclui dispositivos de intertravamento, alertas de porta aberta, entre outras melhorias, para permitir o controle à distância com segurança. Se quiser saber quais são os procedimentos e os equipamentos de segurança necessários, veja aqui.

O sistema funciona 24h por dia, o que significa monitoramento constante do fluxo de entrada e saída de visitantes e prestadores nos condomínios, tudo gravado e passível de ser recuperado, se necessário. 

Outro ponto que precisa ser lembrado é que os operadores de uma operação de portaria remota seguem rígidos protocolos de segurança para permitir acesso de visitantes ou prestadores de serviço, com registro de documentos e fotografia.

Note que nesse sistema, o porteiro não está mais sozinho na guarita e, portanto, mais suscetível à pressão de pessoas que pedem para abrir a porta, muitas vezes com poder de persuasão. Numa central de portaria remota os profissionais estão orientados a, se necessário, chamar a supervisão para lidar com situações de não conformidade. Lembre-se que na portaria remota os moradores são pré-cadastrados e entram por conta própria evitando erros e ou pressão para abrir a porta. 

Por fim, vale dizer ainda que o atendimento remoto diminui a possibilidade de invasões, porque os bandidos não podem render o porteiro presencial e assumir o controle temporário da portaria.

Não pode-se afirmar que a portaria remota está isenta de eventuais erros humanos, mas o seu profissionalismo, protocolos e ajuda da tecnologia minimizam esses erros. 

2- Piora o atendimento

Muita gente acha que por não ter um porteiro no local, não vai ser bem atendida, mas isso não é verdade. Os condomínios que contratam empresas sérias têm operadores de atendimento atenciosos e muito preparados, que seguem os melhores protocolos de segurança.

Hoje, por exemplo, é possível complementar o serviço de portaria remota com armários inteligentes que facilitam o processo de  recebimento de encomendas. Na ASTER você pode implantar o nosso locker.

Além disso, com a portaria remota, você tem atendimento 24h por dia, até mesmo nos finais de semana. Assim, não importa o horário da visita, sempre vai ter alguém pronto e à disposição. Então não se preocupe, porque se você escolher uma empresa como a ASTER, terá o melhor atendimento.

3- Desvaloriza o condomínio

Pelo contrário! Com a portaria remota, os condomínios conseguem diminuir as despesas no longo prazo, o que ajuda na redução das taxas cobradas dos moradores. Então, essa redução das cotas pode ser um atrativo para novos moradores que buscam um lugar mais barato para viver.

Além disso, a portaria remota também traz um aspecto de modernidade para os empreendimentos, o que ajuda a chamar a atenção das pessoas.

4- A Portaria Remota causa desemprego

Mesmo que a portaria remota elimine a necessidade de haver um porteiro no local físico do condomínio, não é justo dizer que ela causa desemprego. Novas vagas são geradas na Central 24 Horas, muitas delas ocupadas por mulheres

Como não são todos os condomínios que têm o perfil para adotar o sistema, podemos dizer que o modelo de portaria tradicional e o remoto vão continuar coexistindo por muito tempo, dando espaço para todos os profissionais.

Vale lembrar ainda que, aqui na ASTER, os profissionais de portaria recebem capacitação para que possam se tornar operadores da portaria remota. E, como também atuamos com terceirização de mão-de-obra, os profissionais dispensados podem passar por um processo de triagem e treinamento em nosso RH, para recolocação como porteiros ou outra função em condomínios para os quais prestamos serviços.

5- Portaria Remota, Autônoma e Virtual são a mesma coisa

Por fim, chegamos a um dos mitos mais famosos. Mas vamos logo esclarecendo: não, portaria remota, autônoma e virtual não são iguais!

Mesmo que todos sejam sistemas que dependem da tecnologia e dispensem um porteiro presencial, eles têm diferenças muito importantes.

A portaria virtual é configurada para tocar um certo número de vezes vezes no apartamento para depois a empresa assumir o atendimento. Na autônoma, é o morador quem faz tudo. Até por isso, as duas podem ser mais baratas, mas também menos completas. A entrada e a saída de visitantes são controladas pelos moradores que usam interfone, câmera e celular. Isso quer dizer que elas podem ser mais vulneráveis à entrada de pessoas não autorizadas.  

Já a portaria remota controla o acesso de pessoas por meio de um software inteligente ligado às câmeras, dispositivos e sensores. O controle é feito por profissionais, com supervisão e muita responsabilidade. Então não confunda os sistemas!

Quer saber como funciona a portaria remota na prática? Veja o vídeo abaixo!

A ASTER pode te ajudar

Com mais de 15 anos de mercado, atuamos na cidade de São Paulo atendendo a condomínios residenciais e comerciais com serviços de segurança, portaria remota, portaria autônoma, portaria híbrida ou portaria presencial; limpeza e higienização de ambientes e implantação de projetos de automação predial como eclusas, câmeras, alarmes e sistemas de reconhecimento facial.Temos a experiência e a estrutura de que precisa. Entre em contato agora e peça um orçamento!