7 dicas essenciais para se contratar um porteiro

Portaria
03/06/2020

7 dicas essenciais para se contratar um porteiro

O porteiro é um profissional muito importante para os prédios e condomínios, pois geralmente é ele quem fica encarregado de cuidar da segurança do local e dos moradores, além de, muitas vezes, ser o responsável por tarefas importantes do dia a dia, como atendimento telefônico e recebimento de cartas e encomendas.

O porteiro deve ser comunicativo, ético e atencioso. Por causa de sua grande responsabilidade, o síndico ou qualquer outra pessoa que estiver responsável pelas contratações tem que se certificar de que o funcionário contratado é de confiança e que possui o perfil adequado para exercer suas funções.

Mas como fazer isso? Quer saber como encontrar um bom porteiro? No post de hoje, daremos a você sete dicas essenciais para se contratar um porteiro.

1- Defina o perfil do candidato

O primeiro passo para contratar um porteiro é definir o perfil do profissional que os moradores desejam ter em seu prédio ou condomínio. Uma boa ideia é realizar uma reunião em assembleia com os residentes, a fim de saber quais são as exigências e necessidades de cada um, perguntando o que os condôminos esperam de um profissional que irá trabalhar na portaria, quais características que ele não poderá ter, entre outras questões.

Traçando um bom perfil, ficará mais fácil avaliar os requisitos importantes para quem for ocupar a vaga, e assim a harmonia do prédio será mantida entre os moradores.

Abaixo, algumas características desejáveis para um bom profissional de portaria:

  1. Boa apresentação pessoal.
  2. Cordialidade e simpatia
  3. Responsabilidade e disciplina
  4. Ética e Honestidade
  5. Sigilo e Discrição
  6. Boa comunicação verbal e escrita
  7. Conhecimentos de informática
  8. Atenção e proatividade
  9. Boa memória visual

2 – Divulgue corretamente as vagas

O processo de divulgação da vaga é bastante importante. Quanto mais candidatos qualificados recrutados maiores as opções e maiores as chances de conseguir alguém qualificado.

Para isso, é importante divulgar as vagas nos canais adequados. Existem sites especializados, bem como jornais de grande circulação focados na divulgação de vagas para esse perfil de mão de obra. Divulgar as vagas nos CATs (Centro de Apoio ao Trabalhador) próximos ao local de prestação dos serviços é uma opção válida, tendo em vista que muita gente busca emprego nesse local. Também não deixe de divulgar a vaga para conhecidos. Uma indicação de confiança é sempre bem-vinda, mas não deve impedir que todas as checagens sejam cumpridas.

No momento de fazer o anúncio a vaga, seja claro quanto aos salários, benefícios, horários e escalas de trabalho. Especifique também o local de trabalho. Quanto maiores os diferenciais em relação à média salarial e de benefícios, maiores as probabilidades de atrair porteiros mais qualificados. Se não puder oferecer um piso salarial maior, pense em benefícios diferenciados, tais como plano de saúde ou cesta básica, por exemplo, que não sobrecarregam tanto os custos por não existirem incidência de encargos trabalhistas. Isso poderá fazer toda a diferença para o processo de recrutamento.

3- Analise a experiência e antecedentes do candidato

Depois de definir o perfil do porteiro que pretende contratar e divulgar adequadamente as vagas, é importante analisar qual é a experiência e antecedentes dos candidatos. Para isso, será preciso fazer uma análise prévia do currículo, para verificar se o profissional já trabalhou como porteiro antes, como foi seu desempenho e quanto tempo permaneceu.

Solicite a carteira de trabalho do porteiro e verifique a estabilidade de trabalho nos diversos empregos anteriores e também os locais e cargos que exerceu. Questione sobre os motivos de saída dos últimos empregos. Alta rotatividade de emprego pode ser um indicativo negativo para contratação do porteiro.

E para melhor análise, há sempre a opção de entrar em contato com o antigo chefe do interessado e questionar a razão do desligamento do antigo emprego, não se esquecendo de perguntar também sobre os defeitos e qualidades do candidato.

Além de ficar por dentro da experiência profissional, também é importante verificar os antecedentes criminais, já que o cargo requer muita segurança e confiança. Todo cuidado é pouco, afinal o porteiro será o responsável direto pela entrada e saída de pessoas no prédio onde você mora. Se possível, realize a investigação social do candidato. Existem empresas especializadas nesse tipo de serviço que realizam visitas e entrevistas nas vizinhanças da residência do porteiro e analisam o perfil de conduta.

4- Realize testes

Estabeleça alguns testes lógicos, psicotécnicos, psicológicos e de aptidão que podem indicar a aderência do candidato ao perfil da vaga definido ou detectar algum tipo de desvio que pode comprometer a execução das atividades na função.

Existem testes psicológicos prontos que indicam as características do candidato e que podem ser aplicados para ajudar no processo decisório. Veja abaixo algumas sugestões de testes que podem ser utilizados, lembrando que é importante o auxílio de profissionais de psicologia para a aplicação correta dos testes:

Testes de personalidade

Finalidade: Identificar a personalidade do candidato com base em fatores comuns cientificamente estabelecidos e detectados através de testes específicos. O Big Five (Cinco Grandes) é um dos testes que pode ser utilizado e define a personalidade com base em cinco traços:

  1. Estabilidade Emocional
  2. Extroversão
  3. Amabilidade
  4. Consciência
  5. Abertura Experiência

Os testes PALOGRÁFICO e QUATI também são comumente utilizados para ajudar a traçar o perfil psicológico.

Atenção concentrada

Finalidade: Testar a capacidade de manter a atenção concentrada no trabalho durante um período. Esse teste pode e dever ser utilizado para porteiros pois é um indicativo importante do perfil do candidato.

Testes de inteligência de raciocínio lógico

Finalidade: Existem alguns testes que podem ser utilizados para verificar a capacidade cognitiva dos porteiros, englobando aspectos de QI e compreensão lógica. Não é necessário níveis de capacidade cognitiva elevados, porém requisitos mínimos devem ser estabelecidos.

Para ter uma melhor noção sobre as questões de aptidão do candidato, é importante aplicar testes teóricos e práticos. Verifique se a pessoa sabe realmente sobre as obrigações e rotinas que o serviço de portaria exige. Se a função exigir conhecimentos de informática, não basta apenas questionar, é importante colocar o indivíduo na frente do computador e verificar como ele se sai.

Peça ainda para ele listar itens básicos de segurança em condomínios, ou requisite a elaboração de relatórios sobre situações que ocorrem no prédio e que estão relacionadas com o serviço de porteiro.

5 – Faça uma boa entrevista

Antes de contratar alguém para ficar na portaria, é preciso ter calma e atenção para chegar a uma decisão da qual não se arrependa depois, levando em conta todos os fatores importantes para a contratação.

Para isso, é fundamental realizar uma boa entrevista, o que só será possível a partir de um planejamento bem feito anteriormente. Analise o currículo e os testes realizados e procure verificar quais os pontos merecem uma melhor atenção e quais as perguntas que irá realizar.

Observe a apresentação pessoal, forma de falar e os gestos do candidato. Isso te ajudará a traçar o perfil do porteiro. Procure deixar o candidato à vontade e demonstre interesse para que possa realmente conhecê-lo.

No momento da entrevista, deve-se dar a palavra ao candidato, fazendo perguntas abertas que vão permitir que o interessado a vaga aborde mais sobre ele mesmo. Escute muito mais do que fale. Aquele que irá entrevistar deve preferir perguntas do tipo ‘Como você é?’ ou ‘Fale mais sobre o seu histórico profissional’.

A partir das respostas será possível ter uma noção melhor de como é a desenvoltura do candidato. Além do mais, é muito importante perguntar o que o candidato espera da vaga, e quais são suas metas profissionais. Desse modo, vai ser constatado se os objetivos do profissional estão alinhados com as necessidades dos contratantes.

Durante a entrevista, uma boa ideia é simular situações de rotinas da portaria e questionar o que ele faria. Por exemplo, o que o candidato faria caso aparecesse alguma pessoa suspeita no portão do prédio durante a noite, e outras questões mais específicas.

Aborde algumas questões pessoais, sem ser invasivo, procurando entender o perfil do profissional. Questões familiares são particularmente relevantes por permitir traçar as necessidades e características do candidato. Um candidato solteiro e sem filhos que more com os pais, por exemplo, tem perfil bem distinto de um candidato casado com quatro filhos e a mulher desempregada.

Para te ajudar no processo seletivo, fizemos o Manual da contratação de um porteiro com perguntas que não podem faltar na entrevista. Baixe agora gratuitamente e aproveite.

[siteorigin_widget class=”WP_Widget_Custom_HTML”][/siteorigin_widget]

6- Dê preferência para candidatos que moram perto

Candidatos que moram longe do prédio onde vão trabalhar gastarão mais dinheiro, tempo e energia para chegar ao local. Por isso, a produtividade cai, principalmente para a profissão de porteiro, pois exige atenção durante todo o turno, e na maioria das vezes durante a noite, para não deixar passar nada de suspeito.

Dessa forma, é preciso saber onde o candidato mora e quanto tempo ele demora a chegar até o prédio ou condomínio para calcular qual será a dificuldade de acesso do funcionário.

7- Tome suas ações e decisões sem preconceitos

Na hora de contratar um porteiro, ou qualquer funcionário, é imprescindível que os preconceitos sejam deixados de lado, principalmente os que dizem respeito à religião, cor e aparência. O preconceito por parte do entrevistador é algo que afasta ótimos profissionais do trabalho. Peça a opinião de outras pessoas e, se possível, envolva mais pessoas na entrevista. Tome cuidado para não perder um grande profissional para seus preconceitos.

Muitas vezes, os candidatos surpreendem de forma positiva. Também é muito importante não menosprezar as pessoas com mais idade, porque elas continuam ativas no mercado de trabalho, trazendo mais experiência e, muitas vezes, têm mais conhecimento técnico e comprometimento do que os jovens.

Como se vê, a contratação de porteiros não é algo fácil e merece atenção. Por isso, muitas vezes, é mais fácil terceirizar os serviços de portaria e deixar esse processo nas mãos de especialistas. A Aster conta com psicólogos e processos muito bem estruturados de recrutamento e seleção que tornam o processo de contratação de porteiros muito mais eficientes e eficazes.

Portaria Remota é boa solução

A função do porteiro está se adaptando com o avanço da tecnologia e a necessidade dos moradores. A Portaria Remota é um sistema que faz o controle de entrada e saída do condomínio à distância, com equipamentos avançados para monitoramento e procedimentos de segurança que protegem os moradores e os visitantes.

Com a Portaria Remota, os porteiros tornam-se operadores e ficam alocados em outro ponto da cidade, num ambiente seguro e preparado para fazer o monitoramento do condomínio 24h por dia nos 7 dias da semana. Isso garante mais eficiência e segurança, além de ser uma ótima alternativa para reduzir custos. Quer saber como a Portaria Remota funciona na prática? Baixe agora gratuitamente nosso Guia Definitivo da Portaria Remota e aprenda tudo sobre essa inovação.